domingo, 14 de julho de 2013

Bispo proíbe Comunhão na Boca e Fiéis demonstram indignação

Homem civilizadamente esclarece fiéis em porta de igreja em Itu, diocese de Jundiaí, SP, após bispo diocesano anunciar a proibição da comunhão na boca por conta do vírus H1N1. 
Fonte: 
Itu resiste

A finalidade da Igreja é a salvação das almas, fazendo para tal o uso adequado dos sacramentos. Nosso Senhor fundou-a para santificar as almas e prepará-las para o Céu.
Detentora do poder sobrenatural legado diretamente a Ela pelo Salvador, são incontáveis ao longo dos séculos as intervenções do clero – cônscio dos seus deveres – implorando a Deus a cura de epidemias, a suspensão de catástrofes, a pacificação de guerras etc., promovendo para tanto atos em que a Fé dos fiéis atraia de Deus a misericórdia, o perdão e a solução dos problemas. Afinal foi Nosso Senhor quem disse: “Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta amoreira: Arranca-te e transplanta-te no mar, e ela vos obedecerá” (São Lucas 17,6).
Portanto, nos casos em que o povo é acossado por infortúnios, cumpre ao clero afervorar sua fé e aproximá-lo mais de Deus, promovendo boas confissões, atos de piedade, vigílias, procissões etc. Um povo assim comove a Deus e atrai a Sua misericórdia. Ora, inexplicavelmente, não é o que está acontecendo.
Vem se alastrando pelo interior do Estado de São Paulo - pelo menos -, a instrução de alguns bispos que impede aos sacerdotes darem a Sagrada Comunhão na boca dos fiéis, pelo risco de contágio do vírus H1N1.
Imaginar que a Sagrada Eucaristia, que é Cristo REALMENTE PRESENTE, possa ser veículo de um vírus contagioso é no mínimo falta de Fé neste sacramento.
Se o clero pregasse com zelo que o vírus se propaga muito mais através das incontáveis ocasiões em que as relações imorais, e portanto pecaminosas, acontecem - e em número incalculável; e se apontasse que as relações pecaminosas estimuladas pelos programas das televisões, pelas modas indecentes, pela promiscuidade dos mais variados ambientes, constituem uma forte causa de contagio para os católicos, como o clero acertaria mais no objetivo de evitar o contágio.
Sobretudo se ensinasse a verdadeira doutrina católica que afirma ser o pecado muito mais grave que uma doença física o qual, uma vez evitado, traria como consequência a saúde física. Mas, por incrível que pareça, em não poucas igrejas não se ensinam mais as verdades da sã doutrina.
Outro exemplo de estarrecer foi, há não muito tempo atrás, a norma dada por um bispo induzindo o seu clero a substituir na consagração das missas o vinho por suco de uva. Motivo? Pasmem os católicos que têm fé: para os padres não sofrerem as consequências da lei seca, caso caíssem em alguma blitz após celebrarem. Ora, é sabido que com suco de uva não há a transubstanciação, portanto, não há Eucaristia. Mais uma vez, com a maior naturalidade, se aprovou um afastamento não pequeno em relação a Deus.
Felizmente há no clero verdadeiros heróis que têm coragem de pregar a moral de sempre e com isso evitam consideravelmente os contágios em suas paróquias. Sabem eles que o melhor remédio contra o H1N1 é a prática da virtude da pureza. Sobretudo são sacerdotes que inculcam a Fé Católica autenticamente. Felizes suas ovelhas, pois são livres de contágios de doenças físicas e espirituais!
Em contrapartida há um número não pequeno de clérigos que agem como se não tivessem Fé, em prejuízo de uma multidão incontável de ovelhas sob sua responsabilidade.



“A quem muito foi dado, muito será pedido” (Lc 12,48).

O que acontecerá quando Nosso Senhor, no juízo particular e no final, cobrar aos pastores onde estão as almas remidas pelo Seu Preciosíssimo Sangue.


               


   
Uma entrevista de Madre Teresa de Calcutá, aonde os repórteres perguntam à ela sobre o que mais a preocupava no mundo, se era a fome, a miséria ou até mesmo o descaso dos países ricos em relação aos países mais pobres. 


Vejam só a resposta de uma verdadeira santa: 

O que mais me aflige é ver as pessoas recebendo a santa comunhão nas mãos! 

_____________________________________

O Substancial
24.10.08
Uma justiça pode dar prisão perpétua ou até a morte, mas a Minha justiça já é ao contrário, Eu posso perdoar conforme o que fez, mas também não posso socorrer todos aqueles que vêm fugindo da realidade. Eu sou real, enquanto o Meu adversário é falso e mentiroso, condena as pessoas sem dar o perdão. A morte só chega sem explicação quando a pessoa só vê o defeito dos outros, o seu ele ou ela não vê. Por isso, Judas Me traiu. Como agora, neste fim dos tempos, para alcançar o seu objetivo, passam por cima de qualquer pessoa, e depois que caem no sofrimento, o primeiro a pensar é em Mim, que sou o seu Deus. Antes, quando tudo ia bem, pouco em Mim pensavam. Para esses a morte chega mais rápido. Todas essas doenças malignas, a maior parte é porque pouco ligaram para Mim. E quando vêem que não têm mais cura, vêm te procurar, Meu filho, e tu nada podes fazer. Não que tu não possas, podes sim, com a Minha ajuda, mas é como Eu quero.
Meu filho Pedro II, os teus problemas que ainda trazes contigo, num instante Eu, Jesus, posso resolver. Mas, para que os outros venham compreender que um filho que faz toda a Minha vontade mostre só um pouquinho do que passei na cruz do Meu tão grande sofrimento carregando-a. Ali carregava os grandes pecados de cada um que acreditava em Mim, e não por aqueles que só pensavamem si. Já basta de ver tanta injustiça neste mundo, onde o ser humano pouco a pouco vem se esquecendo de Mim. A vitória deles é derrota pela maldade que criaram para si mesmo. O respeito pouco existe, e a fé diminui cada dia que se passa. O escândalo vem tomando conta até dentro de um lar. Se um ou dois rezam para Mim, três ou quatro são contra. O substancial, que é o Meu Santo Corpo, é entregue nas mãos de qualquer um. Pilatos fez isto para Comigo, lavou suas mãos para não ter culpa e Me entregou ao povo para Me crucificar. E assim a maioria vem fazendo Comigo, na consagração da santa hóstia. Depois de consagrada Eu caio, muitas vezes, nas mãos de pessoas imundas. Este erro eles não vêem, mas o deles Eu vejo. Quanto desprezo por Mim!
É por isso, Meu filho Pedro II, que este teu serviço eles ignoram, por seres obediente a Mim.
Jesus e Pedro II


Clique na imagem para ler as mais Mensagens 





Postar um comentário