quinta-feira, 23 de julho de 2015

Filme para as crianças: Aparições de Nossa Senhora de Fátima aos pastorzinhos


O Blog Cruzada Católica quer dar mais uma dica de um filme católico para a família assistir: "Aparições de Nossa Senhora de Fátima aos pastorzinhos".




terça-feira, 21 de julho de 2015

O sino: simbolismo e efeitos benéficos. A oração do Ângelus

"O ângelus", Jean-François Millet (1814-1875)
A oração do Ângelus compõe-se de duas partes essenciais: a oração e o som do sino.
O sino dá ao Ângelus uma solenidade excepcional.
Por que o sino toca o Ângelus de manhã, ao meio-dia e à tarde?



Por ordem da Igreja Católica, cumpre a palavra do rei profeta: "À tarde, de manhã e ao meio-dia, cantarei os louvores de Deus, e Deus ouvirá a minha voz".

À tarde, canta o princípio da Paixão do Redentor no Jardim das Oliveiras.

De manhã, a sua Ressurreição, e ao meio-dia a sua Ascensão.

De manhã, dá o sinal do despertar, da oração e do trabalho.

Ao meio-dia, adverte o homem de que a metade do dia é passada, e que a sua vida não é mais que um dia.

À tarde, toca ao recolhimento e ao repouso.

Diz ao homem: faze tuas contas com Deus, pois esta noite talvez Ele exigirá a tua alma.

Fazendo ouvir a sua voz três vezes por dia, recorda aos cristãos as lembranças de um glorioso passado, essas belicosas expedições, a honra eterna dos Papas, que salvaram o Ocidente da barbárie muçulmana.

Toca três vezes, para recordar as três Pessoas da Trindade, às quais o mundo é devedor da Encarnação.

Toca nove vezes, em honra dos nove coros de anjos, para convidar os habitantes da Terra a abençoar com eles o seu comum benfeitor.

Entre cada tinido - ou melhor, entre cada suspiro - deixa um intervalo, para que sua voz desça mais suavemente ao coração e desperte com mais segurança o espírito de oração.

Por que, depois do tinido do Ângelus, o sino faz ribombar sua voz? Canta uma dupla redenção: a redenção dos vivos, pelo mistério da Redenção, e a redenção dos finados, pela indulgência ligada ao Ângelus.

Ao Purgatório toca uma felicidade, e a Maria a saudação de uma alma que entra no céu.
Assim opera a Igreja da terra, cheia de ternura por sua irmã padecente.
Por que chora o sino na agonia? Se reflete as alegrias deve refletir também as dores.
Para sustentar o jovem cristão nos combates da vida, o sino pede as nossas orações.

Como não solicitá-las nas lutas da morte? Entre todas, estas lutas não são as mais terríveis e as mais decisivas.

No toque da agonia, o sino diz: "Miseremini mei saltem vos amici" - Tende piedade de mim, pelo menos vós que fostes meus amigos!

Vinde orar por mim, vinde sepultar o meu corpo, vinde acompanhá-lo à igreja, depois ao dormitório, onde ele deve repousar até a ressurreição dos mortos.




O sino, nesse momento, assemelha-se a uma mãe que, na sua terna

solicitude, não se permite nem paz nem trégua, para clamar em socorro de seus filhos desgraçados e obter a sua libertação.
Também o sino deve tornar o cristão invencível na sua guerra contra os demônios.


Ao estridor dos sinos - acrescenta um de nossos antigos liturgistas - os espíritos das trevas são penetrados de terror, da mesma forma que um tirano se espanta quando ouve ressoar nas suas terras as trombetas guerreiras de um monarca seu inimigo.
Toque de recolher: no inverno, nos países montanhosos, pelas nove horas da noite, o sino faz ouvir a sua voz mais forte.
Chama o viajante desencaminhado, e indica-lhe a estrada que deve seguir para chegar ao lugar onde achará a hospitalidade.
Uma imagem do que também acontece com as almas perdidas no pecado.
Eram inteiramente outros os sentimentos de nossos religiosos antepassados.
Testemunhas inteligentes das bênçãos e das consagrações praticadas pela Igreja no batismo dos sinos, devotavam-lhe um profundo respeito e santo pavor.

Daí vem que temiam infinitamente mais jurar sobre um sino consagrado do que sobre os próprios Evangelhos.

(Fonte: Mons. Gaume, “L’Angelus au dix-neuvième siècle”)

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Como os anjos compuseram o “Regina Coeli” (em português “Rainha do Céu”)




São Miguel atende as súplicas do Papa São Gregório Magno

O Regina Cœli ou Regina Cæli (em português “Rainha do Céu”) é um hino dedicado a Nossa Senhora que se reza às 6h00, 12h00 e às 18h00, durante o Tempo Pascal. 

Ele substitui a oração do Angelus, feita nos outros dias do ano, nos mesmos horários. 

Não se conhece autor humano. Ele teria sido composto pelos anjos segundo atesta imemorial tradição. 

Era o ano 590, em Roma. Já devastada por um transbordamento do Tibre, que havia alagado a cidade reduzindo-a à fome, irrompeu uma terrível peste.

Para aplacar a cólera divina, o Papa S. Gregório Magno ordenou uma litania septiforme. Isto é, uma procissão geral do clero e da população romana, formada por sete cortejos que confluíram para a Basílica Vaticana.
São Miguel atende as súplicas
do Papa São Gregório Magno, detalhe
 

Enquanto a grande multidão caminhava pela cidade, a pestilência chegou a um tal furor, que no breve espaço de uma hora oitenta pessoas caíram mortas ao chão.


Mas S. Gregório não cessou um instante de exortar o povo para que continuasse a rezar, e que diante do cortejo fosse levado o quadro da Virgem que chora, da igreja de Ara Coeli, pintado pelo evangelista São Lucas.


Fato maravilhoso: à medida que a imagem avançava, a área se tornava mais sã e limpa à sua passagem, e os miasmas da peste se dissolviam.



Junto da ponte que une a cidade ao castelo, inesperadamente ouviu-se um coro que cantava, por cima da sagrada imagem: “Regina Coeli, laetare, Alleluia!”, ao qual S. Gregório respondeu: “Ora pro nobis Deum, Alleluia!”. Assim nasceu o Regina Coeli.


São Miguel atende as súplicas 

do Papa São Gregório Magno, detalhe

Após o canto, os anjos se colocaram em círculo em torno do quadro. São Gregório Magno, erguendo os olhos, viu sobre o alto do castelo um anjo exterminador que, após enxugar a espada, da qual escorria sangue, colocou-a na bainha, como sinal do cessamento do castigo.


Como recordação, o castelo ficou conhecido com o nome de Sant’Angelo. Em sua mais alta torre foi posta a célebre imagem de São Miguel, o anjo exterminador.



(Fonte: “Lepanto”, Roma, set/out 83)




Eis o texto em português e, depois, em latim:



V.: Rainha do céu, alegrai-vos! Aleluia!
R.: Porque quem merecestes trazer em vosso seio. Aleluia!
Castel Sant'Angelo

em iluminura medieval

V. :Ressuscitou como disse! Aleluia!
R.: Rogai a Deus por nós! Aleluia!

V.: Exultai e alegrai-Vos, ó Virgem Maria! Aleluia!
R.: Porque o Senhor ressuscitou verdadeiramente! Aleluia.

Conclui-se com a seguinte oração:

V.: Oremos: Ó Deus, que Vos dignastes alegrar o mundo com a Ressurreição do Vosso Filho Jesus Cristo, Senhor Nosso, concedei-nos, Vos suplicamos, que por sua Mãe, a Virgem Maria, alcancemos as alegrias da vida eterna. Por Cristo, Senhor Nosso.
R.: Amém!

V.: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
R.: Como era no princípio, agora e sempre, Amém. (três vezes)

Regina Caeli: partitura, gregoriano simples
Em Latim


V.: Regina coeli, laetare, Alleluia:
R.: Quia quem meruisti portare, Alleluia:

V.: Resurrexit, sicut dixit, Alleluia:
R.: Ora pro nobis Deum, Alleluia.

V.: Gaude et laetare, Virgo Maria! Alleluia!
R.: Quia surrexit Dominus vere! Alleluia!

V.: Oremus: Deus, qui per resurrectionem Filii tui, Domini nostri Iesu Christi, mundum laetificare dignatus es: praesta, quaesumus; ut per eius Genetricem Virginem Mariam, perpetuae capiamus gaudia vitae. Per eundem Christum Dominum nostrum.
R.: Amen

Regina Caeli: partitura, gregoriano solene

Padre Paulo Ricardo - Regina Coeli

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Nossa Senhora do Carmo - 16 de julho


Nossa Senhora do Carmo tem origem no século XII, quando se um
grupo de eremitas começou a se formar no monte Carmelo, na
Palestina, terra Santa, iniciando um estilo de vida simples e pobre, ao lado da fonte de Elias, que se estendeu ao mundo todo.
A palavra Carmo, corresponde ao monte do Carmo ou monte Carmelo, em Israel, onde o profeta Elias se refugiou. A palavra carmo ou carmelo significa jardim.




História de Nossa Senhora do Carmo e os carmelitas



A ordem dos carmelitas venera com carinho o profeta Elias, que é seu patriarca, e a Virgem Maria, venerada com o título de Bem Aventurada Virgem do Carmo. Devido ao lugar, esse grupo foi chamado de carmelitas. Lá, esse grupo de eremitas construiu uma pequena capela dedicada a Senhora do Carmo, ou Nossa Senhora do Carmelo.


Posteriormente os carmelitas foram obrigados a ir para a Europa fugindo da perseguição dos muçulmanos. Aí se espalhou ainda mais a Ordem do Carmelo.



Devoção a Nossa Senhora do Carmo



Com a expulsão dos carmelitas de Israel, a devoção a Nossa Senhora do Carmo começou a se espalhar por toda a Europa. Também foi levada para a América Latina, logo no começo de sua colonização, passando a ser conhecida em todos os lugares. E não somente no Carmelo. Foram construídas várias igrejas, capelas e até catedrais dedicadas a Senhora do Carmo.



Aparição de Nossa Senhora do Carmo a São Simão



São Simão era um dos mais piedosos carmelitas que vivia na Inglaterra. Vendo a Ordem dos Carmelitas ser perseguida até estar prestes a ser eliminada da face da terra, ele sofria muito e pedia socorro a Nossa Senhora do Carmo.


Sua oração, que os carmelitas usam até hoje, foi a seguinte: Flor do Carmelo, vide florida. Esplendor do Céu. Virgem Mãe incomparável. Doce Mãe, mas sempre virgem. Sede propícia aos carmelitas. Ó Estrela do mar.


Então Maria Santíssima, rodeada de anjos, apareceu para São Simão, entregou-lhe o Escapulário e lhe disse: Recebe, meu filho muito amado, este escapulário de tua ordem, sinal do meu amor, privilégio para ti e para todos os carmelitas. Quem com ele morrer não se perderá. Eis aqui um sinal da minha aliança, salvação nos perigos, aliança de paz e amor eterno. A partir desse milagre, o escapulário passou a fazer parte do hábito dos carmelitas.
Milagre de Nossa Senhora do Carmo


A partir da aparição de Nossa Senhora do Carmo a São Simão, a Ordem do Carmelo começou a florescer na Europa e em vários lugares do mundo, permanecendo firme até os dias de hoje.



O Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, 
tradição do Carmelo

A palavra escapulário, vem do latim, escápula, que significa armadura, proteção. O escapulário é uma forma de devoção a Maria Santíssima. O uso do escapulário é um sinal de confiança em Nossa Senhora do Carmo. A pessoa que o usa, é coberta com a proteção e as graças da Virgem Do Carmo.


O escapulário, segundo o Concilio do Vaticano II é um Sacramental, um sinal sagrado, obtendo efeitos de proteção da Igreja Católica. É uma realidade visível que nos conduz a Deus. Santa Tereza dizia que: portar o escapulário, era estar vestida com o hábito de Nossa Senhora.


Oração a Nossa Senhora do Carmo



Senhora do Carmo, Rainha dos anjos, canal das mais ternas mercês de Deus para com os homens. Refúgio e advogada dos pecadores, com confiança eu me prostro diante de vós, suplicando-vos que obtenhais a graça que necessito, ( pede-se a graça). Em reconhecimento, solenemente prometo recorrer a vós em todas as minhas dificuldades, sofrimentos e tentações, e farei de tudo que ao meu alcance estiver, a fim de induzir outros a amar-vos, reverenciar-vos e invocar-vos em todas as suas necessidades.


Agradeço as inúmeras bênçãos que tenho recebido de vossa mercê e poderosa intercessão.


Continuai a ser meu escudo nos perigos, minha guia na vida e minha consolação na hora da morte. Amém. Nossa Senhora do Carmo, advogado dos pecadores mais abandonados, rogai pela alma do pecador mais abandonado do mundo. Ó Senhora, rogai por nós que recorremos a vós.



Música: Filhos do Carmelo
Aline Conceição



quarta-feira, 15 de julho de 2015

“Onde está o crucifixo?” Prefeito espanhol nega fazer o juramento sem o crucifixo

Madri 22/06/2015 - Borja Gutiérrez Iglesias, reeleito prefeito de Brunete, na Comunidade Autônoma de Madrid (Espanha), se recusou a fazer o juramento do seu cargo até que estivesse presente um crucifixo encima da mesa na cerimônia.

A sessão foi feita na praça Maior de Brunete, em 19 de junho,
devido um incêndio que destruiu o Salão de Plenos da cidade. No evento participaram 150 cidadãos, que celebraram majoritariamente o gesto de Gutiérrez Iglesias, do Partido Popular (PP).
A imagem tinha sido tirada da mesa de juramento por pressões dos políticos de esquerda presentes no evento.



Gutiérrez Iglesias começou a fazer o juramento “por minha consciência e honra” quando percebeu a ausência do ícone católico na mesa.
“Onde está o crucifixo?” falou, e esperou que voltassem e colocassem a imagem sobre a mesa para pronunciar novamente seu juramento.
Veja no vídeo abaixo:





Segundo o jornal espanhol “La Gaceta”, Gutiérrez Iglesias, ainda longe do microfone, disse para as autoridades presentes:
“Eu não juro sem o crucifixo na mesa”.
Em seu discurso subsequente ao juramento, Borja Gutiérrez Iglesias enfatizou a “ampla maioria nas urnas” que levou o Partido Popular (PP) à reeleição na prefeitura.
O prefeito de Brunete enfatizou: “é muito mais o que nos une, do que o que nos separa” e que “a lembrança de um povo é patrimônio de todos”.
A equipo de governo, disse que têm “uma grande vocação de serviço” e citou a Santo Agostinho “diz ‘se em algum momento precisas de uma mão, lembre-se que tenho duas’”.


Fonte: aciprensa
Tradução: Carlos Racancoj e Sabrina Marquez
Visto em Homens Católicos 

terça-feira, 14 de julho de 2015

Avisos do céu através das Mensagens "A Palavra Viva de Deus"

A Palavra Viva de Deus é um grupo de leigos CATÓLICOS
obedientes às regras conservadoras da única igreja Cristã verdadeira. Somos liderados pelo Profeta Pedro II, confidente de Jesus, Nossa Senhora e do Céu inteiro, que a mais de 42 anos vem recebendo as Mensagens do Céu e transmitindo para o mundo inteiro.



Nos dias 08 e 11 de julho de 2015, Jesus em Sua infinita misericórdia vem, através do confidente católico Bento da Conceição, transmitir dois importantes Avisos para toda a humanidade. Veja:






Pequeno aviso de Jesus ao profeta Pedro II
08/07/2015

Jesus querido, posso dizer que o Seu Retorno está bem próximo?

Tão logo, Meu filho Pedro II. Este que quer se passar por pastor de Minhas ovelhas, vai ter tão logo um acidente, e lá, não vai haver outro, pois, por ali se encerra.


Na tua missão, Meu filho Pedro II, por mais um pouco ficarás, mas não por muito tempo, porque serei Eu, Jesus, que Virei tomar o Meu Lugar, tão logo. É só esperar pelo que irá acontecer. Primeiro, Minha Igreja, que deixei a Pedro I, não mais será como está, porque o diabo vem destruindo quase tudo o que Me pertence.

Jesus de Nazaré
(para imprimir acesse: 08/07/2015)

*****

Pequeno aviso do Espírito Santo ao profeta Pedro II
11/07/2015

Senhor, meu Deus e meu Pai! O que mais devo fazer antes de Sua Vinda Gloriosa?

Olhaste para o céu e não viste nada. Mas, não pare de olhar. Procure estar atento, porque pode acontecer a qualquer hora o Meu Sinal, e este será o último, porque o Meu inimigo se acha já com o poder que não é dele. Raios surgirão por várias partes da Terra, assustando a humanidade, mas não os Filhos da Luz. Os que viram de longe a montanha brilhar, onde Moisés, só ele subiu para Me ver e conseguir tudo o que passei, por lei, não Me obedeceram. Os dez Mandamentos, a maior parte não mais permite, os filhos da perdição. Um assunto que nunca deveriam ter mexido.


Pois bem ,então Vim pela primeira vez para trazer a Paz, mas a maior parte não aceitou-Me, como agora vem acontecendo tudo de novo. Então, não resta mais nada. Desta vez Virei pôr um basta, e tu, Meu filho Pedro II, darás testemunho, como vens dando.


És a luz que pode iluminar o Meu Caminho, só para os escolhidos.

Espírito Santo e Pedro II
(para imprimir acesse: 11/07/2015)

*****



Clique na imagem e leia mais Mensagens da Palavra Viva de Deus



segunda-feira, 13 de julho de 2015

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Santa Paulina: a Primeira Santa Brasileira




Ela sempre se dedicou desde sua mocidade.

Trabalhou pelos pobres doentes como um gesto de humildade.

Muitas vezes foi humilhada,
mas seguia a Luz Divina.
Bons exemplos nos deixou no Brasil,
Madre Paulina.

Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição,
Madre Paulina foi fundadora por sempre amar os seus irmãos.
(Letra de uma canção de Bento da Conceição a Madre Paulina)



História



Filme






Canção: Youtube
História: Youtube


Maio 2002- Canonização de Madre Paulina 
pelo Papa João Paulo II




A garota Iza Bruna Vieira de Souza , comungando , foi o segundo milagre da santa.Iza nasceu com má formação cerebral. Com cinco dias de vida, ela foi submetida a uma cirurgia e depois de 24 horas começou a ter convulsões e apresentou uma parada cardiorrespiratória. A avó da menina decidiu colocar uma imagem de madre Paulina na mão da neta. A criança sobreviveu e nos exames seguintes constataram que não apresentava mais nenhum problema de saúde. (Foto : Roberto Castro / AE)


terça-feira, 7 de julho de 2015

Filme para as crianças: "São Francisco de Assis"


Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.


Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.






Música: Oração de São Francisco
Coral de Maria



Veja também: 










segunda-feira, 6 de julho de 2015

Santa Maria Goretti: a Santa da Castidade, da juventude, da pobreza, das vítimas de estupro, da pureza de coração e do perdão


Santa Maria Goretti nasceu na cidade de Corinaldo, Itália, no ano

de 1890. Era filha de Luigi Goretti e de Assunta Carlini. Sua família era muito pobre, porém, temente a Deus. Os pais ensinavam a fé cristã para os filhos. Maria Goretti teve 5 irmãos: Tereza, Ersília, Angelo, Sandrino e Marciano.

Vida de Santa Maria Goretti


Por causa de situações da época, a família de Maria Goretti ficou mais pobres ainda e perdeu a fazenda onde moravam. Por isso tiveram que mudar para uma casa compartilhada com uma outra família chamada Serenelli. O pai de Santa Maria Goretti foi trabalhar para outros fazendeiros e acaba morrendo de malária quando Maria Goretti tinha 9 anos de idade.



Morando na casa compartilhada, a beleza de Maria Goretti, com apenas onze anos, despertou paixões desequilibradas em Alessandro Serenelli, um jovem de 20 anos. Alessandro assediava Maria Goretti, mas a menina não cedia aos desejos do jovem.


Foi então, que, no dia 5 de julho de 1902, quando Maria Goretti

estava costurando e vigiando sua irmã menor, Alessando entrou e a ameaçou de estupro. Ela se defendeu e começou a rezar, dizendo que era pecado e que ele iria para o inferno. Não conseguindo o que queria, ele lutou com Goretti.




Ela continuava rezando e lutando para se proteger. Vendo que nada conseguiria Alessandro lhe deu 11 facadas. Goretti gritou e tentou fugir. Então, ele acertou mais três facadas na pobre menina e fugiu. O pai de Alessandro chegou e levou Maria Goretti para o hospital. Ela foi operada sem anestesia, mas os médicos nada puderam fazer porque os ferimentos eram muito grandes.


Antes de morrer, para admiração de todos, Santa Maria Goretti perdoou seu agressor, dizendo que queria encontrar com ele no céu. Disse que ele tentou estuprá-la várias vezes, mas que ela se defendeu sempre. Para a comoção de todos, Maria Goretti faleceu no outro dia, olhando para uma pintura da Virgem Maria.



Milagre de Santa Maria Goretti



Seu assassino foi preso logo depois, julgado e condenado a 30 anos de prisão. Três anos mais tarde ele recebeu a visita do Bispo local e se arrependeu, dizendo que teve um sonho com Santa Maria Goretti, no qual ela lhe entregava flores e estas pegaram fogo assim que ele as segurou. Depois escreveu para o bispo agradecendo a visita e pedindo que ele o incluísse em suas orações.



Quando terminou de cumprir sua pena, Alessandro Serenelli foi à casa da mãe de Santa Maria Goretti, implorar seu perdão. A mãe da Santa disse: Se minha filha, em seu leito de morte te perdoou, eu também te dou meu perdão. Depois disso, os dois foram participar juntos da Santa Missa.


Profundamente arrependido, tocado por Deus e pelo perdão de Maria Goretti e de sua mãe, Alessandro entrou para o Mosteiro da ordem menor dos frades Capuchinos. Lá, ele trabalhou como porteiro e jardineiro. Dizia que Santa Maria Goretti, era sua pequena Santa. Alessando viveu ali até o fim de sua vida, em 1970 e teve a graça de participar da Canonização de Santa Maria Goretti. Certamente, Alessandro se encontrou com a Santa Maria Goretti no céu!


Corpo incorrupto de Santa Maria Goretti


Ele próprio, sentindo a aproximação da morte, escreve de punho um belo e comovente testemunho:


"Sou um ancião de quase oitenta anos e estou pronto para partir. Dando uma olhadela ao meu passado, reconheço que na minha primeira juventude escolhi o mau caminho, o caminho do mal que me levou à ruína. Via, através da imprensa, os espetáculos e os maus exemplos que a maioria dos jovens seguem nesse mau caminho, sem refletir. E eu fiz o mesmo sem me preocupar com nada.



Tinha perto de mim pessoas que criam e viviam a sua fé, mas não reparava nisso, cego por uma força selvagem que me arrastava para o mau caminho. Quando tinha vinte anos, cometi um crime passional, que hoje fico horrorizado só em recordar. Maria Goretti, agora uma santa, foi o anjo bom que a Providência pôs no meu caminho. Ainda tenho impressas no meu coração as suas palavras de reprovação e de perdão. Ela rezou por mim, intercedeu por mim, seu assassino.


Depois, vieram 30 anos de cárcere. Se não fosse então menor de idade, teria sido condenado a prisão perpétua. Aceitei a sentença que merecia, expiei com resignação a minha culpa. Maria [Goretti] foi realmente a minha luz e a minha protetora; com a sua ajuda, portei-me bem e tratei de viver honestamente quando fui novamente aceito entre os membros da sociedade. Os filhos de São Francisco, os capuchinhos de le Marche, receberam-me no seu mosteiro com a sua angélica caridade, não como um criado, mas como um irmão. Com eles convivo desde 1936.


Agora estou serenamente à espera de ser admitido à visão de Deus, abraçar de novo os meus entes queridos, estar junto do meu anjo protector e da sua querida mãe, Assunta.


Desejaria que os que vierem a ler estas linhas aprendessem o estupendo ensinamento de evitar o mal e de seguir sempre o bom caminho, desde a infância. Pensem que a Religião, com os seus mandamentos, não é algo que possa pôr-se de lado, mas sim o verdadeiro consolo, a única via segura em todas as circunstâncias, também nas mais dolorosas da vida. Paz e bem!" (Derradeiras Graças)


Devoção a Santa Maria Goretti


O Papa Pio Xll celebrou a Beatificação de Maria Goretti, no dia 27 de abril de 1947. E em 24 de junho de 1950, celebrou a Canonização da Santa. Foi uma das mais jovens santas da Igreja católica. Sua mãe e 4 irmãos estavam presentes na cerimônia, inclusive seu assassino arrependido, Alessandro Serenelli.



Mais de 500 mil pessoas assistiram a celebração na praça se São Pedro, em Roma. Foi um momento inesquecível para a história da Igreja, onde todos puderam ver como a misericórdia de Deus pode transformar tudo, inclusive situações quase sem esperança como o assassinato de uma menina de onze anos.



Festa a Santa Maria Goretti



A festa de Santa Maria Goretti é celebrada no dia 6 de julho. Ela é tida como a Santa da Castidade, da juventude, da pobreza, das vítimas de estupro, da pureza de coração e do perdão. Ela é representada carregando lírios, sinal de pureza, e com vestes brancas, sinal de sua virgindade.


Oração a Santa Maria Goretti


Óh Santa Maria Goretti, que, reforçada pela graça de Deus, não hesitou, mesmo com a idade de 11 anos, em derramar teu sangue em sacrifício da própria vida para defender tua pureza virginal, olhai graciosamente para a infeliz raça humana, que se desvia muito longe do caminho da eterna salvação.



Ensinai-nos a todos, e especialmente à juventude, com coragem e presteza, que devíamos fugir, por amor a Jesus, de tudo o que possa ofender ou manchar as nossas almas com o pecado.


Obtenha para nós a partir de Nosso Senhor, vitória na tentação, conforto nas tristezas da vida, e a graça que fervorosamente imploro-te, (fazer seu pedido), e possamos desfrutar um dia da imperecível glória do Céu. Amém.


Fonte: Cruz Terra Santa


Santa Maria Goretti - Filme Completo (Dublado)

O testemunho de uma moça católica: "Católicos da Síria, heroísmo até o martírio".

Mireille Al Farah, jovem síria que vive na Espanha e que não pode voltar a seu país desde que começou a enganosa Primavera árabe, contou seu drama no I Congresso Internacional sobre Liberdade Religiosa realizado em Madri. Ela chora durante a comunhão, rezando pelos católicos perseguidos em seu país. 



Mireille no I Congresso Internacional
sobre Liberdade Religiosa, Madri.


“Os pais de família nunca saem juntos à rua, para que os filhos não fiquem inteiramente órfãos” em caso de atentado mortal, relatou. 



Ela contou que antes da investida islâmica, os católicos sírios “manifestávamos publicamente nossa fé, vivíamos sem medo, até que de um dia para o outro nos deparamos com a atual situação: atentados, sequestros, violações, você está em sua casa e te cai um obus de morteiro...


“Os bombardeios são diários. Com as tecnologias GPS eles sabem localizar os bairros cristãos e selecionar as vítimas. Eu perdi treze parentes, um deles foi meu primo Shami, que morreu quando tiro de morteiro caiu sobre ele um”.


Sobre a situação em Damasco, a capital síria, ela narrou: ”Nas horas que temos exames, aumentam os ataques, porque não querem que a gente vá às faculdades ou às escolas. Passamos muitas horas sem água, sem força… a gente tem de fazer o que pode para sobreviver, e isso é em Damasco, que é a capital síria”.


Outros se viram constrangidos a abandonar tudo o que possuíam, numa fuga forçada pela perseguição. Outros ainda optam por ficar:


“A uma amiga casada e mãe de quatro filhos, cuja família está entre a Líbia e a França, foi-lhe oferecido tudo para ir embora e ser recebida como refugiada, mas não quer sair: ‘eu sou daqui, aqui estão meus filhos...’, ela me disse; ela deixou o trabalho e dá formação gratuita aos desempregados para que após o conflito encontrem colocação. Minha irmã está no Líbano, teve que fugir sem nada. Recentemente chegaram 800 famílias que igualmente tiveram de abandonar tudo...”.



Mireille Al Farah

fala da fé dos jovens cristãos na Síria

“Nessa situação, as pessoas se perguntam: ‘o que é que eu vou fazer, fico em casa, saio à rua?’ Mas as pessoas decidiram continuar vivendo, os cristãos continuam enchendo as igrejas. Meus amigos dizem: ‘eu prefiro morrer recebendo o Corpo de Cristo do que ficar em casa no meio do risco’. Os sacerdotes nos ajudam muitíssimo para poder viver essa opção; nos apoiam para manter a esperança”. 
E, sublinha Mireille, “quando abraçamos nossa fé a recebemos por completo, nós sabemos que isso implica assumir a perseguição, mas nós aprendemos a lutar. Eu sempre levo a cruz. Ser cristão é algo que nos dá força. Nossos nomes já nos identificam como cristãos”.


E prossegue: “Para nós, os funerais são uma festa, nós os celebramos como se fossem um casamento, ornamos as igrejas com flores brancas... Os mártires são como noivos e noivas que se entregam ao Céu para se unirem a Cristo”.


Interrogada pelo público sobre o que se pode fazer para aliviar o sofrimento dos cristãos perseguidos na Síria e acabar com o terror que padecem, Mireille respondeu: 


“Os jovens cristãos sírios vos pedimos duas coisas: informar os outros e unir-vos à nossa oração. De um lado, devemos insistir em denunciar o que está acontecendo, para apressar uma resposta internacional. 


“Mas não podemos deixar tudo nas mãos de homens, que são falíveis; tem de vir uma intervenção divina para mudar os corações. Por isso criamos uma corrente de orações para rezar o terço 24 horas, de modo que sempre tenha uma pessoa rezando pela paz na Síria. Orações também para sabermos perdoar, e orações pelos nossos agressores. Estou certa de que com isso a situação poderá mudar”.


“O que vos peço é que não vos oculteis, a fé deve nos trazer sempre a alegria, e não a vergonha. 


“Fiquei espantada chegando a Barcelona e vendo a situação. Na Síria eu nunca me senti sozinha na igreja, mas aqui em muitas ocasiões senti-me sozinha, ainda que estando no meio de pessoas no mesmo templo. Temos de pensar no que temos e os outros não têm”, concluiu a corajosa moça católica.


quinta-feira, 2 de julho de 2015

Pátria amada Brasil! Bela homilia do pe. Rômulo Cândido de Souza


Aprendemos muita coisa na escola sobre a história do Brasil. Sabemos que Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil em 1500. Sabemos que foi celebrada a primeira Missa nesse dia.

Mas há muita coisa em nossa história que não aparece nos livros. Vamos aprofundar essa história, ver a história da alma do Brasil.
Todo país tem uma alma, um coração, não só uma história que aparece por fora.
Veja os belos nomes que os portugueses deram para o Brasil: Primeiro "Ilha de Santa Cruz". Pensavam que se tratava só de uma ilha. Depois, chegando mais perto "Monte Pascoal". Finalmente viram que era um verdadeiro continente e lhe deram o nome de "Terra de Santa Cruz".
Mais tarde, trocaram para "Brasil" por causa da madeira vermelha
que era uma grande fonte de riqueza. Pensaram os maçons que tinham roubado do Brasil seus nomes religiosos; eles se enganaram, o Pau Brasil era um 'lenho vermelho', ora, lenho vermelho só existe um: a Cruz de Cristo. Nós, os brasileiros, ainda temos a Cruz em nosso nome.
A primeira atividade realizada em nossa terra foi a Santa Missa. A primeira árvore que derrubaram não foi para construir uma ponte, uma canoa, foi para fazer um Cruzeiro e um Altar.
Todo o litoral da África está pontilhado de cruzeiros, conforme os navegantes iam descobrindo o caminho para as Índias.
As velas das caravelas tem o Sinal da Cruz, as bandeiras, os estandartes,, e até a moeda portuguesa se chamava "cruzado", tradição que passaram para nossa antiga moeda.
A primeira homilia de frei Henrique foi sobre a Cruz de Cristo. Mais tarde, na fundação de Brasília, vemos a mesma devoção, o engenheiro Lúcio Costa que planejou a cidade nos conta: "Eu tinha em minha frente uma grande folha de papel em branco, não sabia como planejar uma cidade. Fiz no papel, com um
Mapa do plano piloto
(Brasília)
lápis, uma grande cruz, assim surgiu o plano de Brasília. Falam que parece um avião, uma ave levantando voo, é uma cruz".
O papa João XXIII mandou colocar no topo do mundo, no Pólo Norte, uma grande cruz de ébano, de 2 metros. Orgulho piedoso do papa.
Jesus sorriu. Pela "Palavra Viva de Deus" Ele nos fala: "Eu plantei no céu do Brasil a constelação do Cruzeiro, como sinal de proteção".
É como se dissesse: o papa plantou uma cruz no Pólo há alguns anos atrás. Eu plantei no céu uma cruz há 15 bilhões de anos. Eu sabia da devoção dos portugueses, e por isso atendi sua oração. Para Mim tudo está presente.
A cruz é um símbolo profético até na matemática. É o sinal mais simples (+), dois tração, mas eles somam, aumentam. A cruz não diminui.
São duas traves: uma horizontal que mostra a terra e seus problemas, outra vertical que aponta para o céu, tudo vai lá para cima.
A língua chinesa tem uma intuição maravilhosa. Os chineses escrevem por símbolos. Em mais de 3 mil palavras nós vemos no centro dos símbolos o sinal da Cruz. São as palavras mais bonitas da língua chinesa: poesia, música, alegria, paz, rei...
Explicam: 'rei' representa o (céu, Deus) e a (terra, homem), por isso o traço da cruz que liga céu e terra.
A Palavra Viva de Deus tem uma promessa consoladora para nossa
pátria: "A bomba atômica pode acabar com muitos países, menos este país onde moras, onde Minha Mãe é venerada por milhões de brasileiros", "Eu quero que a Terra de Santa Cruz continue intacta". (23.09.07)
Jesus não fala "Eu gostaria que", Ele fala "Eu quero".
Vamos sentir orgulho de nossa história, principalmente da história invisível, que não aparece nos livros. É a história de uma alma, a alma de Portugal e do Brasil.


Homilia do pe. Rômulo Cândido de Souza, C.SS.R


Ouça a canção "Vitória"
Coral de Maria
A Palavra Viva de Deus