quinta-feira, 5 de maio de 2016

Como conjugar o verbo brincar no presente



Eu brinco
Tu brincas
Ele brinca
Nós brincamos
Vós brincais
Eles brincam









Salve Maria! Salve São José!

Neste artigo, quero retratar meu sentimento quanto à realidade das crianças atualmente que não brincam mais ao ar livre ou muito pouco o fazem.
Infelizmente, o "mal" uso dos aparelhos como tablet, celular e até mesmo a TV, podem trazer inúmeras consequências negativas para as famílias e gostaria de ressaltar a que acredito ser uma das principais: o distanciamento entre pais e filhos.
Já ouvimos o ditado: Tudo o que é demais, faz mal. 
Esse ditado encaixa como uma luva nesse assunto. 
A moderação no uso desses aparelhos deve ser essencial e brincadeiras lúdicas, leituras de livros, passeios no parque, aprender a tocar um instrumento, por exemplo, devem voltar a fazer parte do cotidiano familiar.
Nos últimos meses, tenho observado blogs e páginas falando sobre esse assunto, incentivando os pais a brincarem da mesma forma que brincavam quando eram crianças, com seus filhos.
Compartilharei com vocês alguns que encontrei e ao final do artigo, o leitor poderá conhecer melhor cada um deles:
Cia Cultural Bola de Meia, de São José dos Campos (SP), que já tive a oportunidade de ver o trabalho que eles desenvolvem também nas escolas, além de um local onde fazem oficinas, apresentações, brincadeiras, contação de histórias e zelam também pela tradição de um povo, como Moçambique e Congada.  
O Tempojunto, um blog que uma mãe criou para ensinar brincadeiras e trabalhos manuais que ela mesma faz com seus filhos, além de entrevistas exclusivas.
Brincadeiras de criança, onde o leitor terá a felicidade de ver obras do artista Ivan Cruz, onde ele pintou as brincadeiras que ele brincou quando criança. 
Uma outra ideia que está ganhando cada vez mais espaço no estado de Santa Catarina são as propriedades rurais, onde escolas e famílias da cidade passam um dia ou dias com o homem do campo, participando de suas atividades cotidianas como tirar leite da vaca, colher frutas, ajudar a preparar alimentos, além de brincadeiras, andar a cavalo, passeios ao ar livre apreciando a natureza e até roda em volta da lareira para contar histórias.
Uma experiência também que tenho vivido é ver pai e filho, mãe e filha, marido e esposa, irmãos, famílias inteiras, aprendendo a tocar instrumentos musicais. Alguns pais dizem que era um sonho, mas que agora está tendo a oportunidade de realizar junto com o filho, que também sonha em aprender. Outros já dizem que estão incentivando o filho para que deixe um pouco as "telas" de lado.
Minha intenção de mostrar cada um desses trabalhos, é para que se torne um ponto de partida para os pais que querem reverter esse quadro e desejo, de coração, que as famílias voltem a conversar mais, a brincarem mais e que as crianças usem com moderação os aparelhos citados no início do artigo, com supervisão e com horários estabelecidos, lembrando também que os adultos devem se policiar no tempo em que usam tais aparelhos, para que a oração, o diálogo e a interação da família imperem em cada lar.
Os pais também podem catequizar seus filhos, de maneira lúdica: uma delas pode ser contando histórias da Bíblia. As crianças amam e depois pode-se desenvolver trabalhos manuais e pinturas.
Tive a alegria de trabalhar com crianças em Casa de Acolhimento, onde desenvolvi um trabalho em cima da história"A arca de Noé". As crianças amaram, pois a história fala dos animais, do barco grande, da chuva, da água, de Deus. No final de tudo cada uma escolheu uma máscara do animal preferido. Na ovelhinha colamos algodão para ficar ainda mais bonito.  
Agora vou contar uma experiência maravilhosa que tivemos em família: em um belo dia, um dos meus filhos perguntou porque se chamava Daniel e assim os outros quiseram saber também quem havia escolhido seus nomes e o porquê. Pronto! Sentamos todos na sala e expliquei um a um.
Como todos têm nome de santos ou profetas da Bíblia, ficou ainda mais interessante, pois contei um por um a sua história e fiz até uma musiquinha, com o título Nomes de Santos e Profetas.
Com uma história da Bíblia, dá pra fazer inúmeros trabalhos com as crianças. É só usar a criatividade. Elas vão amar! Assim elas se divertem e ao mesmo tempo são instruídas na fé e garanto que não vão mais esquecer.
Vamos conjugar o verbo brincar no presente?

Ressalto, em poucas palavras, pois o foco desse artigo é outro, o perigo das redes sociais, quando há conversas com pessoas desconhecidas, onde a criança, adolescente e até mesmo adulto não se dão conta que, do outro lado, pode ser uma pessoa má intencionada que está teclando. Esse é somente um dos perigos. Aqui cabe o lema dos escoteiros: Sempre alerta!
A internet nos traz muitos benefícios. Cabe a cada um de nós saber usá-los.

Que Deus e a Virgem Santíssima abençoem a sua família!

Janete Moura


Primeiramente vou colocar um vídeo do youtube de uma campanha que a Nature Valley Canadá lançou, onde mostra como a diversão das crianças mudou nos últimos anosTrês gerações respondem: Qual era sua brincadeira preferida na infância?



Conheça :
(Clique nas imagens para acessar as páginas)











*****




Entrevista com Ivan Cruz, o artista que pintou mais de 100 brincadeiras de criança em mais de 600 quadros:



*****




Acesse também: 


Postar um comentário